Lâmpadas de LED devem seguir regulamentação do Inmetro Leave a comment

Regulamentação de lâmpadas de LED será obrigatória no comércio varejista a partir de setembro de 2017

O uso de lâmpadas de LED cresce gradativamente no Brasil. O motivo principal é o baixo consumo de energia elétrica, em tempos de crise enérgica e consequente variação na conta de luz. A Associação Brasileira de Indústria de Iluminação (Abilux) calcula que atualmente apenas 8% do mercado de lâmpadas no Brasil é de LED. Mas o futuro deste tipo de produto é promissor. Estima-se que as vendas cheguem a 74% em 2023. Devido a esta preferência nacional e a quantidade de marcas e fabricantes no mercado, o Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) publicou uma regulamentação de lâmpadas de LED, por meio da portaria 144/2015, que impõe que o comércio varejista (micro e pequenas empresas) deve vender o produto com algumas especificações a partir de setembro. Por isso, o consumidor deve estar atento.

Desde março de 2017, os produtos com esta determinação já estão presentes nas prateleiras dos comércios varejistas e atacadistas. O objetivo é trazer ao mercado produtos com mais qualidade, testados por um órgão competente. Os testes de qualidade trazem segurança aos consumidores, além da confiabilidade de que realmente o produto trará a economia aguardada.

 

Normas

As normas são válidas para lâmpadas de LED, tais como os modelos que não precisam de reator ou fonte externa, que imitam as incandescentes (A60), tubulares, AR111, GU 10, PAR 20, 30 e 38 e outras. As lâmpadas coloridas (RGB) e decorativas (fitas de Led) não precisam ser regulamentadas. Elas podem ser comercializadas sem a obrigatoriedade de ter sua qualidade testada antes de ser vendida.

Entre as determinações, as lâmpadas deverão ser comercializadas contendo na embalagem o selo da Etiqueta Nacional de Conservação de Energia (Ence). Nele, serão obrigatórias informações importantes sobre a potência (W), fluxo luminoso (Im) e eficiência luminosa (Lm/W) da lâmpada, bem como receberá um número que indentifique o registro de certificação junto ao selo da Organismo de Certificação de Produto (OCP), confirmando que realizou a certificação.

Outra determinação é que haja a informação da equivalência da lâmpada de LED comparada a fluorescente. Somente serão certificadas as lâmpadas que comprovem, durante os testes do Inmetro, que possuem duração de 25 mil horas.
Outro fator importante é que a certificação das lâmpadas de LED avaliará a eficiência dos produtos analisados. Mas não obrigará o mercado a seguir um padrão de potência. Por isso, como cada fabricante trabalha com um produto diferente. Há uma grande possibilidade de que lâmpadas de 9,5W de potência sejam mais eficientes que uma de 12W. Nesta hora, é importante observar o fluxo e a eficiência luminosa de cada produto.

 

Qualidade

Para atender às necessidades de seus clientes, a LigBem Indaiatuba atua com o que há de melhor em lâmpadas. Entre as marcas referência de mercado, está a Osram, que oferece soluções de iluminação profissional em diferentes setores. “Além de oferecer produtos eficientes e com bom custo-benefício, a LigBem se preocupa com a segurança dos itens de iluminação e busca trabalhar somente com marcas que ofereçam garantia ao consumidor”, explica o gerente Cristiano Diniz.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *